Seja muito bem-vindo ao Copo de Letras!! Sirva-se sem moderação. ;)

domingo, 14 de dezembro de 2008

Cachoeiro de Itapemirim: aqui jaz a Arte


Em tudo quanto é discurso em Cachoeiro tem alguém dizendo de boca cheia que a cidade já ostentou o título de "Atenas Capixaba". Lindo! Mas quer saber? Vá encher a boca para falar nisso (bem) longe de mim.

Não sou contra a Arte, em absoluto. Mas pra quê ficar olhando só pra trás? Lembro-vos que a mulher de Ló, ao olhar para trás, virou uma estátua de sal. E é isso que ocorre a quem para de caminhar para ficar contemplando o passado: vira estátua. Nada vê, nada ouve e não se move. Devo dizer que respeito profundamente nosso passado cultural tão glorioso, todavia, venho vos alertar: estamos petrificados.

Moraes, Monteiro, Cardoso, Sampaio, Clio, Marão, Fassarella, Barata, Paixão, Grillo, Fabris, Barretto, Tognere, Mofatti, Mourad, Costa... eis alguns dos nomes de nosso presente, capazes de encher um parágrafo!
São apaixonados pelo Cinema, pela Música, pelo Teatro, pela Pintura, pela Poesia, pela Crônica. Todos muito artistas. Todos cachoeirenses. E todos mergulhados em talento, vontades e em possíveis frustrações.

Bem fez Roberto (o Carlos) ao sair de Cachoeiro para ganhar a vida lá fora. Ficasse aqui e estaria anônimo, morrendo noite a noite, de boteco em boteco, como aconteceu a Sergio Sampaio, que morreu solitário, adoecido pela frustração e exalando genialidade.

Parece absurdo, mas sou capaz de ver os irmãos Newton e Rubem Braga visitando escolas e distribuindo a esmo exemplares de seus livros.

Estou cansada de ver Cachoeiro constantemente fora dos circuitos culturais. De ver os raros eventos com um público ínfimo. Cansada de ver pessoas vazias se aproveitando dos encontros culturais para se encher da coisa errada. Cansada.

Estou cansada de saber de picuinhas entre os músicos por tamanhas pequenezas. Cansada de ver nossos atores se apresentando lindamente para uns 20 amigos em um teatro de 300 lugares. E já cansei de ouvir notáveis reclamações quando é cobrado um ingresso para um evento cultural.

Mas acima de tudo, estou cansada, cansada mesmo é de ver pessoas que não estão nem aí para a Arte misturadas com aquelas que a amam verdadeiramente. Não combina. Quem não ama a Arte, a atrapalha.

Arte para ser Arte tem que ser trabalhada, detalhada, desejada. É simples, não há sacrifícios: quem ama a Arte ensaia mais, esboça mais, ouve mais, rascunha mais. Em quem isso doer não há lugar. Quem reclama disso, está fora.

Portanto, peço-vos encarecidamente que tirem as mãos de seus instrumentos, deixem microfones, pincéis e canetas, desçam do palco, embolem seus papéis. Chega de estrelismo, precisamos de muito mais que envolvimento. Precisamos de comprometimento.

Ah, e por último vos peço, pelo amor de Deus: deixem que a Atenas Capixaba enfim descanse em paz.