Seja muito bem-vindo ao Copo de Letras!! Sirva-se sem moderação. ;)

quinta-feira, 23 de abril de 2009

T.P.M.: Tocou, Perguntou, Morreu


Hoje eu li algumas definições para a TPM:

Todos Problemas Misturados, Tendência a Pontapés e Murros, Tô Pirada Mesmo, Tire a Porcaria da Mão, Tente no Próximo Mês, Tempo Para Meditação, Totalmente Pirada e Maluca, Total Paranoia Mental e Tendência Para Matar (ótima essa!!)

A que mais se enquadra comigo vai no título desse meu desabafo...

É, ser mulher não é nada fácil. Os homens reclamam desse nosso estágio mensal, mas só nós mulheres é que sabemos que o buraco, definitivamente, fica mais embaixo...

Na TPM eu fico completamente louca. Meus chegados reclamam das minhas variações hormonais, mas o que eles não sabem, é que eu também não me entendo; sou imprevisível pra mim mesma. Faço coisas que não faria, sinto desprezo profundo por tudo o que eu realmente amo, eu choro e, sobretudo sofro, sofro muito, pois TPM pra mim, é também, um período de altos remorsos, daquelas coisas pequenas, que ficaram láááá atrás, mas que minha mente insiste em remoer...

TPM é chata mesmo. Meu corpo dói todo, eu incho, se vejo uma folha seca ao vento, dano a chorar (sensibilidade dolorida e extremada), também tenho graves ataques de riso, nervosismo a mil, coragem pra dar na cara de qualquer imbecil que me atrase... é tudo muito, tudo plus, tudo mega, tudo hiper, extra super...

Eu sempre defendi uma ideia de que deveria ser instituída uma lei para as mulheres em franca TPM, a “Lei da Jaula”. Uma vez detectada: “Opa, essa não sou eu, essa sou eu na TPM”, a mulher deveria desfrutar do direito de isolamento, variável de 7 a 10 dias. Nesse período, ela iria pra jaula, um canto especial, com muitos chocolates, travesseiros, Cds de músicas suicidas, talvez uma TV, mas tudo em perfeito funcionamento (caso contrário, já viu...) bem longe de filhos, crianças, maridos, sogras, vizinhos, chefes, em suma, longe de seres humanos! Alívio garantido para nós e, sobretudo para os pobres mortais que convivem conosco!

Quero pedir profundo perdão àqueles que sofrem com minhas patadas, explosões, ou ainda, com a minha indisfarçável cara de nojo. Nunca vou _ou vamos_ conseguir explicar esse turbilhão de transformações hormonais, que é avassalador.

A TPM virou tema de piada, mas garanto que ela mata. Se não mata a mulher, ela mesma mata alguém. Acreditem, tudo o que eu mais queria era ser sempre um anjinho e jamais me digitransformar no incrível Hulk!

Portanto, não considerem absolutamente nada do que dissermos ou expressarmos nesse período.
Apenas respirem fundo.

E se possível for, para a "felicidade geral da nação", mantenham distância!!!

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Ah, aquela maluquinha...


Difícil é saber o que foi que ela viu,
se eu não tenho nada demais,
se trago comigo um histórico até meio ruinzinho...
Ao longo de minha vida, ganhei rótulos implacáveis:
para alguns, sou um tirano, um camarada frio e indiferente
Não sou compreendido por minhas escolhas peculiares,
mas escolhi mesmo andar na contra-mão.
E aquela maluquinha que eu não sei o que viu em mim,
ela me olha com uma ternura tão grande, que me deixa até meio sem jeito
E não, eu não tenho nada demais, mas pra ela eu sou o rei,
ela me trata como cristal
e encontrou meu ouro, há muito escondido dentro de mim;
ela ama minhas peculiaridades, celebra todas!
Contudo, às vezes eu tenho receios e não aceito a aceitação dela,
pois não me é possível pensar que alguém aceita tamanhas estranhezas
Me isolo, desconfio de mim mesmo
e fico matutando... 'Deus! O que foi que ela viu em mim?'
Em meu silêncio profundo não encontro respostas,
sinceramente não sei o que ela vê em mim,
mas adoro ser tratado como cristal!
E pra falar a verdade... vou parar de meditar nisso,
estou perdendo tempo de vida boa;
vou simplesmente aceitar que ela me ama
e buscar com ela a felicidade!!

sexta-feira, 3 de abril de 2009

O Sol e a Vó


"O sol brilha

a traça se cria

a xícara fica fria.

Inha! Inha!

A vó xinga

e fica a Chica

fria, fria..."

(Autora: Luísa Nunes Pinheiro, minha filha de 08 anos)

Merecidas aspas... essa menina tem arte na veia!!!

quarta-feira, 1 de abril de 2009

1º de Abril - Dia da Potoca



1º de Abril. O que há de diferente nesta data? Por que ela ainda consta no calendário como um evento, se ela já é nossa, do cotidiano, um verdadeiro patrimônio cultural?!
No dia da mentira as pessoas mentem. A diferença é que logo depois elas se revelam, confessam que mentiram. (E todos se divertem, que coisa...)
Seria diferente sua conduta nos outros 364 dias do ano? Seriam dias da verdade?
...
O mundo está tão tresloucado que falar a verdade é algo desagradável, constrangedor, coisa de gente ranzinza, mal humorada, grossa, sem noção mesmo. O conceito da verdade está desfigurado, corrompido. As pessoas estão acomodadas a ouvir mentiras perfumadas, mentiras bem construídas ou descaradas mesmo, já não faz diferença... a verdade é que é muito melhor ouvir mentiras. (ui!!) Verdades são cruéis, são frias, ferem corações, magoam almas... mentiras maquiam a realidade, disfarçam as imperfeições da vida, atenuam o sofrimento... É???
...
As pessoas estão cada vez mais e mais potoqueiras, ainda que se levantem provas a favor da verdade, ainda que seus olhos gritem o contrário. Convivemos com mentiras de todos os gêneros, do “boa sorte” mal intencionado às fraudes descomunais da política. Tem mentirinha, tem mentirão... tudo a mesma porcaria.
...
Não há sentido algum em fazer menção ao dia da mentira. Genial seria instituir o “Dia da Verdade”, um dia inteiro dedicado a falar verdade. Topa? Ah, fala a verdade!!!



(Segundo o Aurélio, potoca significa mentira. Potoqueiro, mentiroso.)

Lembrou-se de alguém?