Seja muito bem-vindo ao Copo de Letras!! Sirva-se sem moderação. ;)

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Estrelas que Choram

Por: Alex Peron e Ludmila Clio
Você se lembra de quando era criança
e não conhecia's outras crianças,
mas em dez minutos você já brincava com todas?
Se lembra de quando contava estrelas
e ficava fascinado com seu brilho?
Eu nunca fui assim,
ou fui, mas não me lembro bem
Essa felicidade carregada de levezas
está tão distante de mim,
parece que foi há um milhão de anos que a vivi
Eu cresci
Sempre fui um fantasma,
Uma folha carregada pelo vento,
que sabe muito bem o seu fim
Crescemos
Somos uma bela geração de fotos sorridentes
e de travesseiros encharcados
Hoje ouço estrelas chorando no céu, nos camarins
Desdenho fotos sorridentes
que escondem almas desdentadas, choros engolidos
em prol da ditadura da felicidade
que proíbe a todos de chorar
Então sorrimos, bebemos, nos drogamos
Sim, com uma certeza desafiadora, sorrimos
Ao som do choro das estrelas, ao fundo,
que morrem todos as noites por não terem quem as contemple,
pois estamos todos chorando escondidos.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Relações Boleto



Cobrança.
Taí uma coisa que não suporto.

Pior que receber cobrança de alguma compra ou de alguma prestação de serviço é receber um protesto de relacionamento, o que por obviedade _ao menos para mim_, é algo indiscutivelmente gratuito.

Existe cobrança escancarada: textão, cara feia, resposta malcriada. Gente que reclama o débito de um suposto direito adquirido.

Também existe cobrança velada _e essa ainda é mais irritante. É aquela que testa o outro fazendo silêncio até onde não se aguenta mais.

Coisa boa é ter prazos respeitados. Os relacionamentos mais caros sabem disso. Ontem mesmo enviei uma mensagem para uma amigo, depois de meses sem contato. Ele foi comigo o mesmo coração amoroso de sempre. A gente não sabe bem quando foi a última vez em que se falou, mas nossas almas sabem, isso é o bastante. Elas retomam sempre do mesmíssimo ponto, unicamente porque elas não se desligam, não desafinam, não desbotam. Elas sabem que têm uma a outra sempre que precisar. E quando precisam, se procuram. E o melhor de tudo: elas se acham. Sempre se acham!

No entanto algumas contas simplesmente não fecham. 

Há quem aprecie cobranças de amizade ou de provas de amor. Dizem que soa importância. Gostam de relatórios diários, planilhas de sentimentos, rotinas de afetos. Pera lá! Reviro os olhos com esses argumentos. Cobrança é feito kriptonita: enfraquece até o mais forte dos corações.

Pode haver quem precise dizer ou ouvir todo santo dia o que se passa, mas não estou nesse time. Eu preciso de prazos para abater minhas dívidas interiores, eu preciso de silêncios para recalcular meus planos, respirar minhas dores. Dividi-las ou não é uma escolha minha e absurdamente há pessoas que não aceitam isso.

Mas quem ama respeita. 
Não cobra, não pressiona, não testa.

Quem ama se dispõe silenciosamente e sabe muito bem quem está disposto também, é quase que telepatia. Sintonia rara que dispensa palavras.

Amor não se prova.
Amizade não se testa.

Não meça minha lealdade pelo "bom dia" enviado. Até porque meu humor não é dos melhores pela manhã.